Xingar faz a dor passar na hora

Curiosidades1.498 Visualizações

Você acabou de dar uma topada com o dedo do pé, bateu seu joelho, ou está sentindo dor por qualquer outro motivo. Vá em frente e solte uma torrente de palavrões. Estudos sugerem que xingar e praguejar pode diminuir a dor.

 



 

Um estudo realizado por pesquisadores da Keele University descobriu que xingar ajudou voluntários a suportar a dor quase 50% mais do que aqueles que não praguejavam. Os 64 voluntários submergiam suas mãos na água gelada, primeiro repetindo o xingamento escolhido, em seguida usando apenas uma palavra qualquer. Xingamentos ajudaram a suportar a dor por quase dois minutos, em comparação com os um minuto e 15 segundos quando eles usaram uma palavra normal. Os pesquisadores também descobriram que praguejar não só aumentou a tolerância à dor, como também diminuiu a percepção da dor por parte dos voluntários.

Palavrões são usados por instinto quando alguém se machuca, dessa forma configuram uma resposta automática e servem como um mecanismo para desviar a atenção da nossa mente da dor. Sendo assim, durante as pesquisas observou-se que soltar palavrões com vontade na hora da dor fez com que a pessoa tolerasse por mais tempo a dor e reduzisse o próprio sentimento de dor.

Outras palavras podem funcionar?

 

Será que podemos encontrar outras palavras que quando ditas com muita raiva e vontade ajudem assim como os palavrões?

Os pesquisadores dizem que é possível, mas a pessoa tem que acreditar que essa substituição funciona. Como palavrões são "proibidos" segundo os protocolos sociais, nossa mente cria esse vínculo desde que somos pequenos, então xingamentos seriam as palavras mais apropriadas para desviar nossa atenção.

Na verdade os palavrões são tidos como palavras negativas, carregadas com essa conotação "ruim", errada. Nos primórdios da humanidade, nós ainda não tínhamos uma linguagem como a de hoje, com uma estrutura de palavras. Assim quando sentíamos dor nós simplesmente gritávamos alguns sons parecidos com os dos animais. Pise no rabo de um gato ou cachorro e você ouvirá seus gritos de dor. Com a evolução da linguagem, as palavras que substituíram naturalmente os gritos foram os palavrões, tidos como palavras negativas e carregadas com essa conotação "ruim", errada. Dessa forma, nos expressamos através dos palavrões quando algo muito errado ou frustrante acontece, como a dor intensa. Os homens da caverna gritavam, nós xingamos!

Caso você tenha uma palavra que use sempre que algo negativo ocorra, vale a tentativa. Talvez ela carregue o mesmo efeito que um palavrão.

Xingar muito não adianta

A desvantagem, porém, é que para esta técnica de gerenciamento de dor para ser mais eficaz, você precisa limitar sua dose de palavrões diários. Se você xingar muito, na hora da dor não fará tanto efeito pois sua mente já estará habituada com os palavrões.

As pesquisas mostraram que nas mulheres a técnica de xingar enquanto sente dor foi mais eficaz. A percepção de dor nelas reduziu mais do que nos homens. A teoria é de que no dia-a-dia as mulheres falam menos palavrões do que os homens. Assim, quando elas xingam o palavrão vem mais carregado emocionalmente, já que não usam tanto. Por isso as pessoas não devem xingar tanto. Os palavrões carregam um significado que pode acabar sendo banalizado por tanto uso. E na hora que precisarmos usá-los, eles não servirão para mais nada.