Tudo sobre a vacina da gripe

Parece que a vacina da gripe não serve apenas para combater os diversos vírus que nos derrubam e nos deixam de cama com dor de cabeça, corisa e secreções. A vacina contra a gripe previne também doenças cardiovasculares.

 

A pesquisa veio do Canadá, mais precisamente da Universidade de Toronto e foi divulgada no Congresso Cardiovascular de 2012. Na verdade a pesquisa propriamente dita foi conduzida na década de 60 e atualmente estudos foram feitos com base nessas pesquisas, que avaliaram mais de 3 mil pacientes na época.

Todos foram vacinados, mas apenas metade recebeu realmente a vacina da gripe. A outra metade achou que foi vacinada, mas as vacinas não continham nada além de placebo. Foi 1 ano de acompanhamento e as conclusões foram espantosas. A metade vacinada teve 50% de redução no risco de problemas cardiovasculares como AVC e ataques cardíacos. Até pessoas com histórico de doenças cardiovasculares foram beneficiadas. A chance de morrer em decorrência dessas doenças caiu em 40% também.

Ainda não se sabe com certeza o que a vacina contem para reduzir o risco de problemas cardiovasculares, mas os especialistas acham que a vacina pode previnir as complicações provenientes da gripe como inflamações, que são relacionadas a ataques cardíacos. Ainda segundo os especialistas, os resultados são muito significativos e dão suporte aos médicos que sugerem a vacinação contra a gripe de pessoas com problemas cardíacos.

Vacina da gripe

A gripe é causada pelo vírus Influenza, que pode ter vários tipos. Após o vírus conseguir entrar no nosso corpo e se instalar, ele causa uma doença respiratória que traz os clássicos sintomas da gripe: espirros, tosse, dores musculares, dor de cabeça, febre, nariz entupido e coriza, cansaço. Esses sintomas são passageiros na maioria dos casos, mas o problema é que a gripe debilita o nosso sistema imunológico, abrindo portas para problemas mais graves como sinusite, infecções no ouvido, pneumonia, desidratação e o agravamento de doenças pré-existentes como diabetes e asma. Por isso todo cuidado é pouco e a vacina contra a gripe pode ajudar.

Embora a vacinação contra a gripe exista há anos, muita gente ainda tem dúvidas sobre ela. Já sabemos o básico, que ela previne contra a gripe e agora contra problemas cardiovasculares. Saiba mais sobre a eficácia da vacina da gripe e seus riscos.

Gripes x Resfriados

Os sintomas são parecidos, mas gripe e resfriado não são a mesma coisa. O resfriado é causado por um vírus chamado rinovírus enquanto a gripe é causada pelo vírus influenza. A vacina combate apenas o influenza. Além disso, o resfriado é muito mais brando do que uma gripe. Gripes extremas e mal curadas podem levar ao óbito do paciente enquanto o resfriado é inofensivo, pode no máximo te arriar um pouco. Popularmente é dito que a gripe é um resfriado que piorou, mas não é verdade. Como dissemos, os vírus são diferentes e causam infecções diferentes. O resfriado para na dor de cabeça, dor no corpo e congestão nasal (e até ser confundido como uma rinite), enquanto a gripe adiciona ao quadro de sintomas dores mais intensas, náuseas, febres e baixa no sistema imunológico, o que pode abrir as portas para complicações como pneumonia.

Não tem como saber se você está gripado ou resfriado. O único jeito é observar os sintomas durante o primeiro dia. Se você ficar de cama e os sintomas forem ficando mais fortes, deve ser gripe. O ideal em ambos os casos é repouso. Além de você se preservar e acelerar a recuperação, vai prevenir que o vírus se espalhe através do ar e pelo contato.

A vacina da gripe funciona mesmo?

A chance é grande. A época certa para ser vacinado é no outono, estudos comprovam uma eficácia de 89% em quem se vacina nesse período do ano. Para que a vacina comece a fazer efeito por completo é necessário pelo menos 2 semanas. No caso de crianças que nunca foram vacinadas, a dica é tomar o quanto antes pois será necessário uma outra vacinação no período de 1 mês. Isso se dá porque as vacinas contêm cargas muito pequenas dos vírus, usados para estimular a produção de anti-corpos. Dessa forma, quando o vírus da gripe tenta se instalar os anti-corpos já estão mais fortes e reconhecem de imediato a ameaça, tendo mais chances de erradicá-la. A vacinação anual é necessária para "renovar" essa pequena carga de vírus e para injetar possíveis vírus novos.

A vacinação contra a gripe é segura?

Sim. Mas como qualquer outra vacinação há certas condições para se vacinar e alguns riscos. A vacina contra a gripe não é recomendada para quem tem alergia a proteínas, principalmente ovos, já que o cultivo do vírus da gripe se dá em ovos. Indivíduos que tenham tido alguma reação com outro tipo de vacina também não devem ser vacinados, assim como crianças até 6 meses. Indivíduos que possuam uma rara doença do sistema nervoso conhecida como Síndrome de Guillain-Barre não devem tomar outra dose no período de 6 semanas. Também não é recomendada a vacinação de pessoas com febre.

Posso ficar doente mesmo depois de tomar a vacina?

Vacinação da gripe

Sim, é possível. Principalmente no período de 2 semanas após a vacinação, que é o tempo que a vacina leva para desenvolver os anti-corpos necessários. Mas embora muita gente acredite, a vacina não causa gripe espontaneamente. Efeitos colaterais mais graves raramente são relatados. O que acontece com mais frequencia são queixas de sintomas que lembram uma gripe branda. A pessoa pode se sentir um pouco cansada, ter dores musculares inclusive febre. Esses efeitos podem começar horas após a vacinação, durando até dois dias.

Quem pode tomar a vacina?

Qualquer pessoa, mas crianças só a partir dos 6 meses. Existe um grupo de risco destacado pelo Ministério da Saúde que têm preferência na vacinação, já que eles correm mais risco de ficarem gripados e terem complicações graves: mulheres com mais de 3 meses de gravidez, idosos acima de 60 anos, indivíduos com algum problema cardíaco, pulmonar com com diabetes, portadores do vírus HIV, pessoas que trabalhem na área de saúde, presos e a população indígena. Para ver quem não deve tomar a vacina leia a seção "A vacinação da gripe é segura?".

Como é feita a vacina?

A OMS – Organização Mundial da Saúde – divulga que três tipos de vírus compõe a vacina contra a gripe. Todos são classificados como Influenza, sendo 2 do tipo Influenza A e 1 do tipo Influenza B. Dados sobre a vacinação e sobre a mutação do vírus Influenza são coletados anualmente. Segundo esses dados a fórmula da vacina pode sofrer alterações para combater melhor a gripe.