Sintomas e tratamento da depressão

Mas afinal, o que é depressão? Todos nós nos sentimos tristes, deprimidos, pelo menos algumas vezes na vida. Considerada o transtorno mental mais comum no mundo, a depressão é um mal que atinge milhões de pessoas em todo o mundo e às vezes é difícil perceber se alguém está com depressão ou aparenta um quadro de tristeza ou mau humor momentâneo. Mas é um problema que tem tratamento.

 

Às vezes perder um familiar ou amigo, problemas financeiros, de saúde ou até mesmo insegurança nos deixam muito tristes, mas com o tempo vamos nos conformando ou lutando para resolver nossos problemas. Mas se o sentimento de tristeza continua forte e perdura, atrapalhando a vida, pode ser que tenha se transformado em depressão. Diagnosticar a depressão nunca é fácil pois a própria pessoa depressiva deve aceitar o seu problema. Estima-se que 50% das pessoas com depressão não têm o diagnóstico e por isso não recebem o tratamento adequado. Pior, cerca de 10% dessas pessoas acaba cometendo suicídio.

O estresse é um dos principais gatilhos em quem já tem predisposição para a depressão (que pode ser um fator genético).

Quando estamos deprimidos há alterações químicas em nosso cérebro, por isso a depressão é considerada uma doença. As principais reações acontecem nos neurotransmissores, mais especificamente com as substâncias noradrenalina, serotonina e dopamina. Especialistas definem quatro tipos de depressão: sazonal, clássica, transtorno bipolar e distimia.

Confira alguns dos sintomas clássicos da depressão.

Sintomas da depressão

Os sintomas da depressão que aparecem com mais frequência são:

  • falta de energia
  • mau humor
  • falta de apetite
  • problema de sono ou dormir demais
  • falta de concentração
  • diminuição da autoestima
  • fadiga, mesmo após fazer pouco esforço físico
  • perder interesse em atividades que lhe davam prazer
  • desespero ou falta de esperança
  • perda acentuada do apetite sexual
  • ganhar ou perder muito peso
  • pensamentos sobre morte
  • tentativa de suicídio

Outros sintomas físicos e dores podem aparecer como má digestão, pressão no peito, tensão nos ombros e na nuca, dores de barriga acompanhadas de diarréia, azia, flatulência, dores de cabeça ou no corpo, entre outros.

Como ainda podem existir outros sintomas, para um diagnóstico mais preciso é recomendado procurar um médico. Viroses ou gripes podem trazer sintomas muito parecidos com alguns da depressão, por isso o médico vai avaliar o quadro geral do paciente. Há quanto tempo os sintomas vêm se manifestando, a intensidade deles, histórico familiar, consumo de drogas ou bebidas, etc. Se o médico diagnosticar um quadro depressivo, ele indicará um psicólogo ou psiquiatra.

Tratamento da depressão

O tratamento da depressão muitas vezes é feito clinicamente, com medicamentos (antidepressivos) ou com psicoterapia. Ainda há outro método controverso, usado em pacientes com casos mais graves de depressão, doentes mentais e pacientes propensos ao suicídio, que é a eletroconvulsoterapia (conhecido como tratamento de choque). Muito utilizado há décadas de maneira indiscriminada, ficou com uma aura extremamente negativa.

Mas também é possível cuidar da depressão de outras maneiras mais naturais e caseiras. Um bom exemplo para prevenir e combater a depressão é cuidando melhor da alimentação, optando por alimentos que estimulam a produção de serotonina, substância que provoca sensação de bem-estar e ajuda no combate da depressão. A serotonina é encontrada em frutas, carnes e carboidratos. Além destes, a pessoa pode incluir no seu cardápio pimenta, mel, banana, aveia, chocolate, ovos, leite, soja, entre outros. Substâncias como triptofano (aminoácido), cálcio (minerais), magnésio (mineral) e vitamina B6 também ajudam a combater a ansiedade e a depressão.

Vale lembrar que comer alimentos que proporcionam bem-estar podem não acabar totalmente com a depressão, por isso consulte um médico, pois o tratamento da doença pode ser feito com o auxílio da terapia e a ingestão de medicamentos. Porém, uma ajuda nunca é demais, por isso, confira a seguir alguns alimentos para depressão.

Lista de alimentos para combater a depressão

  • Chocolate – contém tirosina, substância que estimula a produção de serotonina e provoca sensação de bem-estar. A produção de endorfina e dopamina – neurotransmissores responsáveis pelo relaxamento – são estimuladas. 
     
  • Ovos – fonte de tiamina e niacina (vitaminas do complexo B), que colaboram com o bom humor. Contém ácido graxo ômega 3, substância que ajuda no bom humor. Uma unidade por dia, no máximo, é o suficiente. 
     
  • Castanha-do-pará, nozes e amêndoas – ricas em selênio, um poderoso agente antioxidante. Auxiliam na redução do estresse. A recomendação, no entanto, é que sejam consumidas somente de duas a três unidades da castanha-do-pará. Somente devem ser consumidas cinco unidades de nozes ou 10 a 12 unidades de amêndoas. 
     
  • Mel – estimula a produção de serotonina, provocando sensação de prazer e bem-estar. O suficiente são duas colheres de sobremesa, ao dia.
     
  • Laranja – rica em vitamina C, vitaminas do complexo B e cálcio. A vitamina C promove o melhor funcionamento do sistema nervoso, previne a fadiga e ajuda a combater o estresse e previne a fadiga. A recomendação é que a laranja seja consumida na forma de suco ou in natura.
     
  • Banana – rica em carboidrato, potássio e magnésio, a banana é fonte de vitamina B6, que produz energia.
     
  • Leite e iogurte desnatado – rico em cálcio, mineral que elimina a tensão e a depressão. Produz um efeito relaxante por causa do triptofano, que é precursor da serotonina. Pode-se consumir de 2 a 3 porções por dia. 
     
  • Melancia, mamão, tangerina e limão – agentes do bom humor. Contêm o aminoácido triptofano, que ajuda na produção de serotonina. 
     
  • Abacate – rico em triptofano, aminoácido que ajuda na produção de serotonina. Pode ser consumido antes de dormir. Consumir duas colheres de chá da fruta pura (sem açúcar ou adoçante) todos os dias antes de se deitar.
     
  • Aveia – possui substâncias antioxidantes. Rico em vitamina B6 e cálcio. Contém selênio, que colabora para a produção de energia. Combate a ansiedade e a depressão. O ideal é que a aveia seja consumida diariamente (três colheres de sopa cheia).
     
  • Peixe (salmão e atum) – o salmão contém ômega 3, substância que ajuda no bom humor. O atum contém o mineral magnésio, que ajuda na produção de energia.   
     
  • Carnes magras – o triptofano aumenta a produção de serotonina, substância que ajuda no combate da depressão e melhora o humor, criando sensação de prazer e bem-estar. 
     
  • Soja – rico em magnésio, mineral que ajuda a reduzir a fadiga e aumenta os níveis de energia. Combate o estresse porque tem propriedades tranquilizantes naturais, principalmente quando combinadas com cálcio.
     
  • Carboidratos (pães, cereais integrais como arroz e trigo) – ajudam o organismo a absorver triptofano e estimulam a produção de serotonina, que ajuda a reduzir as sensações de depressão. 
     
  • Espinafre e folhas verde-escuras – contêm vitaminas do complexo B, que ajudam a combater a depressão. Também é rico em magnésio.  
     
  • Brócolis – garante o bom humor por conter ácido fólico, substância importante na liberação da serotonina. 
     
  • Alface – possui a substância lactucina, que produz efeito calmante. 
     
  • Couve, alcachofra, chicória, nabo e rabanete, tangerina, pimentão, figo, caqui – auxiliam a melhorar o mau humor e a evitar o stress.
     
  • Pimenta – a substância capsaicina faz com que o cérebro produza mais endorfina, aumentando a sensação de euforia. As melhores pimentas para o bom humor são: pimenta-de-cheiro, a vermelha e a malagueta. Recomenda-se não exagerar nas quantidades.
     
  • Frutos do mar – ricos em zinco, mineral que auxilia na manutenção do bom humor.