Refrigerante faz mal à saúde

Atire a primeira pedra quem nunca bebeu um refrigerante geladinho num dia de calor escaldante. Pois o hábito de beber refrigerante já está embutido na cultura do brasileiro e de muitos outros povos. No entanto, se antes o refrigerante era associado ao bem-estar, hoje já se sabe que ele contém substâncias que fazem muito mal à saúde.

 

Para quem não vive sem tomar refrigerante a notícia não é nada agradável, mas por que exatamente a bebida não deve consumida em excesso?

Refrigerantes à base de cola (que contém cafeína e ácido fosfórico) como a Coca-Cola e a Pepsi, além de serem viciantes como o cigarro, podem provocar males à saúde após o consumo constante e em excesso. Além do mais, eles contêm corantes, açúcar em excesso, xarope e aromatizantes, ou seja, há uma grande quantidade de substâncias químicas que não são nada benéficas para o organismo. Por isso, se você não consegue eliminar de vez o refrigerante de sua dieta, então o melhor a fazer é diminuir drasticamente a quantidade ingerida por semana. Desta forma, você estará ajudando a manter o seu organismo mais saudável.

Para evitar que o consumo de refrigerantes prejudique a saúde, o melhor é fazer com que as crianças não comecem a beber desde muito cedo, pois o organismo ainda está se desenvolvendo. Além do mais, a bebida inibe o processo de absorção de cálcio pelo organismo, e ainda contribui para aumentar o índice de sobrepeso e obesidade infantil.

Confira a seguir que tipo de problemas podem ser causados pelo excesso de refrigerante. Entre eles está o surgimento da diabetes, problemas dentários, de obesidade e até musculares. 

PROBLEMAS CAUSADOS PELO REFRIGERANTE

  • Por ser um produto industrializado, o refrigerante possui sódio em sua composição. Quando em excesso, o sódio favorece a retenção de líquidos. Como consequência, ocorrerá aumento de peso, a barriga estufa e as pernas ficam inchadas.
     
  • Os refrigerantes contêm alta concentração de açúcar, por isso as chances de a pessoa desenvolver diabetes do tipo 2 ao tomar um copo de refrigerante por dia é de 83%. Isso ocorre porque o açúcar contido na bebida leva o organismo a fabricar maior quantidade de insulina, aumentando a resistência do organismo à insulina. 
     
  • Por ser rico em açúcar, o consumo de refrigerante provoca o aumento de peso e, consequentemente, os casos de obesidade. 
     
  • O aumento dos fatores de risco para doenças cardíacas pode estar associado ao fato de a pessoa beber mais de um copo de refrigerante por dia. 
     
  • O ácido fosfórico presente no refrigerante à base de cola pode fragilizar os ossos, cabelos e unhas. Isso porque o ácido fosfórico provoca acidez no sangue, e ainda retira o cálcio do organismo, fragilizando os ossos, pois provoca perda de massa óssea ou diminuição da densidade mineral óssea. Pode aumentar o risco de osteoporose.
  • A acidez dos refrigerantes danifica os dentes. Como consequência ocorre a perda de minerais no esmalte do dente, fazendo com que eles fiquem sensíveis e frágeis. Podem sofrer fraturas. Pode haver o surgimento de cáries e de outros problemas dentários.
  • Por serem à base de cola, os refrigerantes também prejudicam os músculos fazendo com que eles murchem. Isso ocorre porque o consumo em excesso faz com que haja queda nos níveis de potássio no sangue. Por isso, as pessoas podem apresentar sintomas como fraqueza muscular.
  • O gás que os refrigerantes contêm faz com que o corpo produza mais suco gástrico. Como consequência, a pessoa tem mais chances de desenvolver uma gastrite. Há ainda aumento da acidez do estômago.
  • Pode causar dor de estômago e gerar gases intestinais que causam dor e desconforto abdominal.
  • O refrigerante açucarado pode ser prejudicial para a saúde cardiovascular – especialmente para as mulheres -, pois elas são mais propensas a desenvolver níveis elevados de triglicérides, ou seja, gordura no sangue.
  • Refrigerantes podem prejudicar o fígado devido à concentração de xarope de frutose de milho. Isso porque quando a bebida é consumida em excesso pode haver acúmulo de células gordurosas no fígado. Como consequência, podem surgir inflamações ou fibroses no órgão. 

REFRIGERANTE LIGHT, DIET E ZERO

 

Muitas pessoas trocaram o refrigerante normal por refrigerante light, diet e zero. Mas, apesar de toda a propaganda favorável a esses refrigerantes, eles também não são tão saudáveis como as pessoas pensam.

Mas, afinal qual é a diferença entre esses refrigerantes? Uma característica comum é que todos têm pouca ou nenhuma caloria e são isentos de açúcar, sendo considerados diet. No refrigerante light, o açúcar é substituído por adoçante artificial, o que reduz as calorias; no diet, há isenção de açúcar; e no refrigerante zero, há isenção de algum nutriente e de calorias.

No caso da versão zero, por exemplo, apesar de o refrigerante não conter açúcar em sua fórmula, sendo portanto o valor calórico bem menor do que um refrigerante normal, ele conta com uma quantidade de sódio muito maior do que o normal. Como consequência, a tendência é a retenção de líquidos, aumento da pressão arterial e até lesão no fígado e nos rins.

No caso das versões diet e light, estudos indicam que esses refrigerantes não ajudam na perda de peso, pois mesmo com adoçante em sua composição, pode acontecer ganho de peso.