Qual é o melhor óleo para o seu carro?

Todos2.041 Visualizações

O óleo do motor é um assunto que sempre gera respostas diferentes. Claro que todo mundo que tem carro sabe que é preciso trocar o óleo de vez em quando, mas poucos sabem que existem vários tipos de óleo, com tempo de ação no motor e características diferentes.

O preço do óleo também muda muda de acordo com o produto. E quanto ao filtro de óleo? A troca tem que ser junto com a do óleo? Confira a seguir dicas sobre o óleo do carro, diretamento do Centro de Experimentação e Segurança Viária.

 



 

Lubrificantes

Lubrificantes são materiais compostos por óleos básicos e aditivos. Sua função é justamente lubrificar, reduzir o atrito entre as superfícies metálicas móveis existentes no motor. Mas ele tem prazo de validade.

Você provavelmente já sabe que é importante fazer a troca de óleo do carro de vez em quando, certo? Mas qual a duração certa desse “de vez em quando”? Essa é apenas uma entre as dúvidas que a maioria das pessoas tem em relação à troca de óleo.

  • Devo trocar o óleo ou apenas completar até atingir o nível máximo?
  • Quando preciso trocar o filtro de óleo?
  • Por quantos quilômetros meu carro pode rodar com esse óleo?

Em primeiro lugar é essencial entender as diferenças entre cada tipo de óleo (sim, há óleos diferentes com características distintas). Isso, de cara, pode responder a algumas das suas dúvidas.

Óleo mineral

É o óleo obtido da separação de componentes do petróleo, sendo, portanto, uma mistura de vários compostos. O carro pode rodar com ele em torno de 3 a 5 mil quilômetros, ou por volta de seis meses, o que vier primeiro.

Óleo semissintético

Mistura proporções variáveis de bases minerais e sintéticas. O objetivo é reunir as melhores propriedades de cada tipo, levando em consideração uma otimização de custo, já que as matérias-primas sintéticas têm alto custo agregado. Tem uma duração em torno de 6 a 8 mil quilômetros, ou seis meses.

Óleo sintético

É um óleo obtido por reação química – o que exige um controle maior em sua fabricação –, permitindo a obtenção de vários tipos de cadeias moleculares com diferentes características físico-químicas, resultando em produtos mais puros. São os mais caros, mas duram de 10 a 12 mil quilômetros, ou até 1 ano.

Troca do óleo e filtro de óleo

  • Faça sempre a troca total do óleo velho pelo novo. Não se deve misturar tipos de óleos ou produtos de viscosidades diferentes. Isso acaba alterando as propriedades do óleo – além de danificar o motor do seu carro.
  • Ao trocar o óleo marque sempre a quilometragem e respeite o prazo para a próxima troca. Lembre-se que ele tem vida útil, com o uso e o tempo o óleo se deteriora e perde suas propriedades de lubrificação. Sem lubrificação adequada as partes metálicas do motor vão sofrer mais atrito entre si e podem danificar o motor.
  • Se o nível do óleo do seu carro estiver abaixando constantemente evite ficar completando. Como dito antes, além de você misturar um óleo novo com um óleo velho, pode não ter mais o óleo que você usou antes ou pior, você pode nem se lembrar qual foi, e assim acabar misturando óleos diferentes. Trocar toda hora o óleo também não é a solução, já que o nível está baixando constantemente. A melhor dica é levar o carro para a oficina, onde o mecânico vai avaliar se há um vazamento ou outra irregularidade.
  • E a troca do filtro, quando deve ser feita? Muita gente (até mecânicos) dizem que a troca do filtro de óleo pode ser feita a cada duas trocas de óleo. Ou seja, em uma troca de óleo você não troca o filtro, na outra troca, assim por diante. Mas o correto é trocar o filtro de óleo sempre que fizer a troca do óleo. Assim você evita misturar o óleo novo com resíduos de óleo já “queimado” pelo motor.
  • Que tipo de óleo você deve usar? Consulte o manual do seu carro. O tipo do óleo ideal para o carro, quantos quilômetros ele pode percorrer entre as trocas, a quantidade que deve ser posta no motor entre outros detalhes estarão especificados no manual.