Qual a diferença entre Comunismo, Fascismo e Socialismo?

Na maioria dos países do mundo, o capitalismo é o sistema econômico predominante. No entanto, muitos contestam essa forma de sistema político-econômico baseado no mercado liberal e na propriedade privada dos meios de produção, com a concentração de riqueza nas mãos de um pequeno grupo.

Por causa disso, surgiram duas doutrinas que contestam o sistema capitalista e apostam numa sociedade mais igualitária, sem classes sociais, nem propriedade privada: comunismo e socialismo. No passado, os dois eram identificados como sinônimos, porém há quem defenda que o comunismo é a etapa final do processo, ficando o socialismo na posição intermediária entre o capitalismo e o comunismo.

Enquanto há quem critique o capitalismo, também existem pessoas que acreditam que é muito difícil passar da teoria para a prática no que se refere aos conceitos do comunismo, se tornando, portanto, uma utopia pensar que um dia será possível haver igualdade de direitos entre todos. Mesmo porque em países onde o comunismo foi implantado houve um desvirtuamento com relação ao que deveria ser e no que realmente se transformou essa ideologia política, marcada pelo autoritarismo.

O mesmo aconteceu com o fascismo, regime político de extrema direita implantado em países como a Itália. Através da figura de um líder, os fascistas impunham a sua ideologia de forma autoritária, estando o Estado acima de tudo e de todos. Os fascistas eram contra a democracia liberal, o comunismo e o socialismo.

Para entender um pouco mais sobre cada um, confira a seguir um resumo com as principais características do fascismo, comunismo e socialismo.

Fascismo

A Itália vivia um momento de grande agitação social, pois passava por uma grave crise econômica após a I Guerra Mundial. As greves e as manifestações de trabalhadores insatisfeitos com as condições de trabalho e a situação do país agravavam ainda mais a situação. Além disso, o crescimento do movimento comunista começava a incomodar. Foi nesse cenário de desesperança e nacionalismo ferido (a Itália ficou destroçada com a I Guerra Mundial e os Aliados se recusaram a cumprir os acordos feitos) que nasceu o fascismo.

Oficialmente, o fascismo teve origem em 1919, foi apresentado como partido político em 1921, e passa a se tornar conhecido a partir de 1922, quando Mussolini chega ao poder.

  • Surgido no início do século XX na Europa, o fascismo é um regime político de direita, autoritário e nacionalista. Seu auge ocorreu entre 1919 e 1945, no intervalo entre as duas guerras mundiais (I Guerra Mundial – 1914/1918) e II Guerra Mundial (1939/1945).
  • O totalitarismo, ultranacionalismo, idealismo, etnocentrismo e militarismo são as características básicas do fascismo, que também era centrado na figura de um líder forte e na veneração ao Estado. Ou seja, o movimento fascista era contra à democracia liberal e não via com bons olhos o socialismo e o comunismo.
  • Pelo pensamento dos fascistas, as nações e raças consideradas superiores deveriam se sobrepor sobre as outras, principalmente aquelas consideradas mais fracas ou inferiores.
  • O político italiano Benito Mussolini foi o principal líder fascista, pois foi ele o responsável pela implantação do regime no país no período do pós-guerra. Ele ocupou o poder depois da "marcha sobre Roma" no dia 28 de Outubro de 1922. Um mês depois de assumir o comando do estado italiano, o Parlamento lhe concederia plenos poderes. Já a oposição abandonou o parlamento. Em meio a crise, Mussolini estabelece o estado totalitário, favorável a presença do grande capital, mas contrário aos sindicatos que foram proibidos e os partidos políticos de oposição que foram dissolvidos.
  • O governo fascista, liderado por Benito Mussolini, durou 21 anos. Seu lema era: “Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado”. Mussolini ficou no poder até 1943.

Comunismo

O comunismo é uma doutrina social, política e econômica onde não existiriam as desigualdades sociais. Mesmo porque a desigualdade social gera problemas que se desdobram em questões como a violência, a miséria e as guerras. O principal mentor do comunismo foi Karl Marx. Para ele, o comunismo seria alcançado através da revolução proletária, onde não haveria classes sociais, nem Estado, onde as decisões seriam tomadas de forma democrática, com todos participando do processo decisório, no que se refere sobre o que produzir e quais as políticas a serem implantadas.

  • Tem como objetivo o estabelecimento de uma sociedade igualitária, sem classes sociais, onde não há espaço para a propriedade privada, e todos teriam os mesmos direitos a tudo. Assim, não haveria barreiras nem diferenças entre os homens, a propriedade seria comum e haveria o controle dos meios de produção.
  • A Revolução Industrial trouxe grandes mudanças e transformações para a economia e a indústria. Muitas críticas ao novo modelo de capitalismo surgiram dando, portanto, espaço para o fortalecimento das teorias do comunismo.
  • Para a implantação do comunismo haveria uma luta de classes: classe operária x burguesia, com o fim da sociedade burguesa e o desaparecimento das classes.
  • Primeiramente, durante a implantação do comunismo, a propriedade privada seria estatizada. O Estado passaria a ser gerido partido político que se encarregaria de distribuir de forma igualitária a riqueza gerada por todos. Numa segunda fase, o Estado seria abolido, sendo o poder entregue ao povo.
  • Países como a extinta União Soviética (atual Rússia) e a República Popular da China adotaram a doutrina comunista. Em outros países, como Polônia, a extinta Tchecoslováquia, Alemanha Oriental, Romênia, Albânia e Hungria o comunismo foi imposto pela União Soviética ao final da Segunda Guerra Mundial.
  • Como uma ideologia política, o comunismo é geralmente considerado como a etapa final do socialismo.
  • Muitos consideram a teoria comunista como uma utopia que dificilmente pode ser alcançada.

Socialismo

Doutrina política e econômica surgida no final do século XVIII, a origem do socialismo tem raízes intelectuais e surgiu como resposta aos movimentos políticos da classe trabalhadora e às críticas aos efeitos da Revolução Industrial (capitalismo industrial).

O socialismo é o oposto do capitalismo. Ou seja, enquanto o capitalismo tem como característica a propriedade privada dos meios de produção e no mercado liberal, com a concentração de riqueza nas mãos de um pequeno segmento da sociedade, o socialismo se baseia na distribuição equilibrada de riqueza e propriedade, fazendo com que diminua a distância entre ricos e pobres.

  • Pelo pensamento socialista, todos os bens e propriedades particulares seriam de todas as pessoas, o trabalho comum seria repartido assim como os objetos de consumo, fazendo com que não existisse mais as diferenças econômicas entre os indivíduos.
  • Apesar de Noël Babeuf ter sido o primeiro pensador que apresentou propostas socialistas como alternativa política, Karl Marx foi quem disseminou os princípios filosóficos do movimento. Para ele, no sistema socialista não haveria espaço para a existência de classes sociais nem propriedade privada. Marx defendia ainda que somente com luta de classes e revolução do proletariado se conquistaria a reforma social e o socialismo seria implantado.
  • Pela teoria marxista, os princípios do socialismo ficavam entre o capitalismo e o comunismo. Ou seja, haveria uma reforma gradual da sociedade capitalista, mas sem absorver os ideais do comunismo, que pregava o fim do sistema capitalista e queda da burguesia através de uma revolução armada.

Socialismo Utópico

Robert Owen, Saint-Simon e Charles Fourier foram os principais teóricos do socialismo utópico. De acordo com o pensamento dos socialistas utópicos, o sistema socialista se instalaria de forma branda e gradativa. A sociedade ideal seria construída através de meios pacíficos e da boa vontade da burguesia. O nome socialismo utópico teve sua origem na obra "Utopia" de Thomas More.

Socialismo científico

Os teóricos do socialismo científico defendiam a tese de que era preciso compreender a realidade econômica e social do capitalismo para fazer uma análise crítica desse sistema econômico. Ou seja, era preciso estudar a fundo o capitalismo e suas origens, o acumular prévio de capital, a consolidação da produção capitalista entre outros temas ligados ao capitalismo. Somente depois dessa análise é que se poderia propor uma ação revolucionária do proletariado.

O filósofo e economista alemão Karl Marx foi o principal nome da teoria do socialismo científico, juntamente com seu compatriota Friedrich Engels. Foi a partir de suas teorias que Marx escreveu a sua obra mais completa, O Capital. Essa corrente do socialismo científico também ficou conhecida como marxismo.

O socialismo científico ia de encontro ao socialismo utópico, já que ele não tinha a intenção de criar uma sociedade ideal. Entre os principais tópicos defendidos pelo socialismo marxista está a luta de classes, a revolução proletária, a teoria da evolução socialista e a doutrina da mais-valia (corresponde ao valor não-remunerado do trabalho do operário, que é apropriado pelos capitalistas). Aliás, as melhores condições de trabalho e de vida para os trabalhadores viriam através de uma revolução proletária e da luta armada.

Segundo o marxismo, o capitalismo era dividido em duas classes sociais: os exploradores (donos dos meios de produção, das fábricas, das terras), pertencentes à burguesia; e os explorados (quem não tem propriedade nem meio de produção e tem que se sujeitar aos outros).

Os socialistas marxistas defendiam que o controle do Estado deveria ficar na mão da ditadura do proletariado. Nesta fase, ocorreria a socialização dos meios de produção através da eliminação da propriedade privada. Posteriormente, poderia-se chegar ao comunismo perfeito, onde não mais existiriam desigualdades sociais e econômicas, e nem mesmo o Estado.

Socialismo real

Socialismo real é uma expressão que designa os países que adotaram o regime socialista, no século XX, como União Soviética (atual Rússia), China, Cuba e Alemanha Oriental. O primeiro estado socialista da história foi a antiga União Soviética. Esse tipo de socialismo sofre críticas, já que houve uma deturpação entre o conceito de socialismo e a prática socialista. Em países que adotaram o regime socialista, prevaleceu o autoritarismo, totalitarismo e o desrespeito as direitos humanos.