O que é Globalização

Vivemos em um mundo cada vez mais globalizado. Provavelmente você já ouviu alguém dizendo isso. Se você ainda não tem uma noção abrangente sobre o assunto, continue lendo para saber o que é globalização e como ela afeta a nossa vida.

Quando se diz que o mundo está cada vez mais globalizado é porque cada vez mais há uma integração muito grande entre os países no que diz respeito aos aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Ou seja, existe uma aproximação de pessoas, empresas e governos de todo o mundo. E essa aproximação faz com que haja maior troca de ideias, aumento das transações financeiras e comerciais e maior conhecimento de aspectos culturais de outras nações.

A globalização surgiu para atender ao capitalismo, aos países desenvolvidos, tendo como principal objetivo a busca por novos mercados, já que o consumo interno encontrava-se saturado. Assim sendo, os destaques foram inicialmente para as áreas econômica e comercial. É preciso lembrar, porém que o desenvolvimento dos transportes e das telecomunicações também fizeram parte desse processo, fazendo com que o mundo “encurtasse” as distâncias, aumentando, portanto, a integração mundial entre os países.

Os agentes da globalização

Com a modernização dos transportes, especificamente do transporte marítimo, houve um incremento no fluxo comercial mundial. Ou seja, o transporte marítimo por ser capaz de carregar uma grande quantidade de carga, permite que os produtos cheguem aos mais variados cantos do mundo, tornando os produtos globalizados. Houve, portanto, um aumento maior na troca de mercadorias, facilitando a importação e exportação de produtos.

Já as inovações tecnológicas nas áreas de telecomunicações e informática tiveram um papel fundamental no processo de globalização. Isto porque foi a partir da rede de telecomunicações formada por aparelho de fax, televisão, telefonia fixa e móvel e finalmente a internet, que houve um aumento da difusão das informações, beneficiando empresas e instituições financeiras que passaram a estar conectadas a outros mercados do mundo.

A globalização chegou ainda através das empresas multinacionais ou transnacionais que passaram a operar em diferentes territórios, estreitando as relações comerciais entre os países e as empresas.

A criação de blocos econômicos como o Mercosul, a União Europeia, Nafta (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio), Alca (Área de Livre Comércio das Américas) e APEC (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico), Pacto Andino – Comunidade Andina de Nações, ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral), MCCA (Mercado Comum Centro-Americano), Aliança do Pacífico e BENELUX (Bélgica, Holanda e Luxemburgo) veio fortalecer ainda mais o processo de globalização. O objetivo destes blocos é se fortalecer dentro do mercado mundial que está cada vez mais competitivo, facilitando o comércio entre os países membros através da redução ou isenção de impostos ou de tarifas alfandegárias, por exemplo. Juntos, os países que formam os blocos econômicos também buscam soluções para os problemas comerciais da região em que atuam.

Os blocos econômicos são formados por países vizinhos ou que possuam afinidades culturais ou comerciais. Eles têm como intenção aumentar e gerar crescimento econômico para eles próprios. Assim, atualmente, é muito difícil pensar em ficar de fora de blocos econômicos, pois quem não estiver integrado a um deles estará condenado a viver isolado do mundo comercial. Mas a mídia e a internet são os maiores responsáveis pela globalização nos dias de hoje. A facilidade e enorme velocidade na transmissão e troca de informações derruba cada vez mais fronteiras ao redor do globo, encurtando as distâncias e aproximando os povos de diferentes culturas e ideologias políticas e sociais.

O começo da globalização

Embora o conceito de globalização seja atual, podemos dizer que os primneiros conquistadores e colonizadores são os "pais" da globalização, já que promoveram os primeiros intercâmbios culturais e sociais da história. Porém, muitos historiadores começam a falar de globalização à partir das grandes navegações e colonizações de portugueses e espanhóis, passando pela Revolução Industrial (embrião do capitalismo), Segunda Guerra Mundial, Guerra Fria e por fim Nova Ordem Mundial. Para saber mais sobre isso assista ao vídeo abaixo, uma aula completa sobre globalização.

Vantagens e desvantagens da globalização

O processo de abertura da economia e da globalização é irreversível, não sendo possível voltar atrás. A globalização já está no nosso dia a dia e, se por um lado o surgimento e o desenvolvimento do processo de globalização trouxe algumas vantagens, também foram constatadas algumas desvantagens. No caso do Brasil, entre os pontos positivos para o nosso cotidiano está a modernização da economia através da entrada de produtos importados, beneficiando, portanto, os consumidores que encontraram mais opções de compra, além de contarem com preços mais baratos e produtos de melhor qualidade. Além disso, a globalização também impulsionou a melhoria dos produtos nacionais devido a concorrência com os produtos importados. E, por isso, já se pode encontrar produtos nacionais com preços menores e mais qualidade.

Com o processo de globalização, setores da economia como o de vestuário, cosméticos, eletrodomésticos, carros e serviços foram impulsionados. E se há crescimento nos setores, como o de serviços, por exemplo, aumenta o número de postos de trabalho. As trocas comerciais aumentaram, novas tecnologias foram introduzidas no país, houve um desenvolvimento no setor de comunicação, e os brasileiros também puderam adquirir novos conhecimentos, conhecer outros hábitos culturais e melhorar o seu nível educacional.

Por outro lado, a globalização produz efeitos negativos como o desemprego. Isto porque para reduzir custos e poder baixar os preços, as empresas tiveram que encontrar soluções como aprender a produzir mais com menos gente para atender a demanda, o crescimento do consumismo. Ou seja, elas incorporavam novas tecnologias e máquinas e reduziram o número de vagas, fazendo com que agora ao invés de dois ou três pessoas para fazer uma determinada função, somente é necessária uma pessoa. Surgiu, portanto, uma situação contraditória: como continuar crescendo e ao mesmo tempo absorver a mão-de-obra disponível no mercado.

A globalização também fez com que houvesse o deslocamento das grandes empresas para países que oferecem melhores condições de investimento, o que pode significar a redução de impostos. E assim, aumentaram os problemas de exploração de mão-de-obra. O aumento da distância e da dependência tecnológica dos países periféricos em relação aos desenvolvidos se configurou em outro problema negativo com o processo de globalização.

Assista ao documentário abaixo para ter uma noção mais aprofundada sobre os problemas da globalização. O filme é entrecortado por uma entrevista com o premiado geógrafo e intelectual baiano Milton Santos, gravada quatro meses antes de sua morte, e aborda os problemas da globalização sob a perspectiva das periferias.