Lista de sites não recomendados para compras online

Notícias1.235 Visualizações

O Procon de São Paulo mantem uma lista com sites não recomendados para compras na internet. Nessa semana o órgão adicionou mais 71 sites à essa lista, que agora soma 275 sites (a lista foi iniciada em 2011). Para saber quais são os sites incluídos na lista negra do Procon clique aqui.

No link você encontra o endereço eletrônico de cada site, a razão social e número do CNPJ ou do CPF em caso de pessoa física ser o dono. Além disso há um status marcando se o site está "no ar" ou "fora do ar".

Os sites entraram na lista depois do Procon receber diversas reclamações por parte dos consumirores, configurando irregularidades no comércio eletrônico. As principais reclamações foram devido a não entrega de produtos adquiridos nestes sites, claro. Os sites não responderam às reclamações.

O diretor-executivo do Procon SP, Paulo Arthur Goés, divulgou uma nota sobre o assunto: "Esses fornecedores virtuais não são localizados, inclusive no rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil,  o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor".

Góes ainda disse que a proliferação desses sites mal-intencionados tem gerado enorme preocupação. Muitos continuam no ar lesando os consumidores desatentos: “Denunciamos os casos ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas o mais importante é que o consumidor consulte essa lista antes de fechar uma compra pela internet”, completou Góes.

Desconfie sempre de preços e ofertas "imperdíveis". Você pode estar caindo nessa arapuca. Outro problema são sites que importam os pedidos dos clientes e quando a mercadoria chega é de responsabilidade do comprador pagar qualquer taxação. Olho vivo!