Dieta de proteínas pode fazer mal?

Quando querem emagrecer rápido e sem orientação médica, muitas pessoas fazem dietas radicais. Às vezes cortam da alimentação os carboidratos ou as proteínas por conta própria. No entanto, ao contrário do que muitos pensam uma dieta equilibrada e saudável inclui a ingestão de alimentos com proteína e carboidratos.

 

Assim sendo, pode ser perigoso fazer uma dieta restritiva à proteína, por exemplo, sem orientação médica, já que a dieta de proteína faz emagrecer, mas pode fazer mal à saúde.

Assim como os carboidratos, as proteínas são fundamentais para o nosso corpo, já que atuam na defesa do organismo, ajudam a fortalecer a musculatura e a perder peso, a emagrecer em um curto espaço de tempo. Assim, uma dieta de proteína irá fazer bem para quem pratica esporte ou musculação, já que o organismo vai utilizar a proteína para construir e reparar o tecido muscular. Como consequência haverá um ganho de massa magra.

Após o treino é importante comer um alimento com proteína que pode ser, por exemplo, queijo branco com pão integral, filé de frango, arroz integral e salada ou leite batido com fruta. No entanto, se você quer fazer uma dieta de proteína a recomendação é procurar um nutricionista, pois somente ele poderá indicar o tipo de proteína que deve ser ingerida conforme a sua necessidade.

Mas, o que são as proteínas? Segundo os endocrinologistas, as proteínas são moléculas orgânicas compostas de aminoácidos. E elas têm como função auxiliar no crescimento e na reparação de tecidos, ajudar a repor os gastos das células, ajudar no transporte de substâncias pelo corpo e a produzir enzimas, anticorpos, hormônios e neurotransmissores.

Afinal, qual é a quantidade certa de proteína que deve ser ingerida? Bom, a recomendação é que a pessoa consuma 1 grama de proteína por quilo que pesa. Ou seja, quem tem 70 kg, por exemplo, deve consumir 70 gramas de proteína diariamente.

E quais são as principais fontes de proteínas? Entre os alimentos ricos em proteínas destaque para carnes (a carne vermelha é ótima fonte de proteína, mas deve ser consumida de 2 a 3 vezes por semana), peixes, ovos (a gema é que contém a proteína), leguminosas (soja, feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico), leite e derivados (iogurte), laticínios (queijo cottage e leite desnatado), carne branca (sem molho), frango. 

Excesso de proteína não faz bem

Uma dieta que exclui de forma radical a proteína não faz bem à saúde, assim como também não é recomendável comer proteína em excesso. Isto porque o excesso de proteína no organismo pode sobrecarregar o rim, aumentar o colesterol, entupir artérias e até mesmo prejudicar o coração. Além disso, o excesso faz com que o corpo perca muita água.

Se por um lado a proteína é importante para quem quer ganhar massa magra, por outro lado o excesso também poderá sobrecarregar os rins de quem faz exercícios regulares, seja através da alimentação ou da ingestão de suplementos complementares.

Outro motivo que faz com que o excesso de proteína não seja recomendável é que ingerir uma quantidade exagerada pode fazer com que o excesso seja eliminado através da urina, já que o organismo não irá aproveitar de forma adequada as substâncias que são benéficas para o corpo. 

Dieta equilibrada com proteína e carboidrato

Uma alimentação rica em proteína realmente pode ajudar a emagrecer rápido, principalmente porque faz a pessoa perder muita água. Mas à longo prazo a dieta de proteínas pode trazer péssimas consequências já que a falta de outros elementos, como o carboidrato, pode provocar também falta de energia e fraqueza. No caso da pessoa interromper a dieta de proteína, ela pode voltar a ganhar peso rapidamente também.

Se comer proteína de forma adequada ajuda a perder peso, mas o excesso de proteína faz mal ao nosso organismo, o que fazer para ter uma alimentação mais equilibrada? Bom, neste caso o ideal é inserir na dieta diária alimentos com proteína e carboidrato.

Enquanto que os alimentos com proteína atuam na defesa do organismo e ajudam a fortalecer a musculatura, os alimentos com carboidratos são fontes de energia e mantêm o corpo funcionando, pois agem como combustível para os nervos, o cérebro, a medula e as células do sangue.  Assim sendo, a pouca ingestão de carboidratos pode fazer com que a pessoa tenha falta de energia e apresente sintomas como mal-estar e tontura. Além, é claro, de você sentir mais fome.

Segundo os nutricionistas, o ideal é que os carboidratos sejam ingeridos pela manhã quando o corpo e o cérebro necessitam de mais energia. Mas, que alimentos têm carboidratos? Os alimentos mais ricos em carboidratos são pães, massas, arroz, cereais, batatas e frutas.