Como sobreviver a um ataque nuclear

Curiosidades6.010 Visualizações

As únicas bombas atômicas lançadas oficialmente até hoje foram sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial, em 1945, pelos Estados Unidos. De lá para cá, muito se tem falado sobre a possibilidade de uma nova guerra nuclear entre alguns países, no entanto, felizmente, isso nunca ocorreu.

 

Países como Estados Unidos e a antiga União Soviética, por exemplo, no auge da Guerra Fria, deixaram o mundo preocupado com a possibilidade de um confronto cujas consequências seriam desastrosas para todos. No entanto, os ânimos se acalmaram e a tão temida guerra nuclear foi descartada.

Mas, se Estados Unidos e União Soviética resolveram os seus problemas, o mesmo não se pode dizer de países como Coréia do Norte e Irã, que frequentemente desafiam o governo norte-americano com ameaças. Dizem que eles ainda não têm conhecimento suficiente para produzir suas próprias bombas nucleares, mas os governos de Coréia do Norte e do Irã não desistem de desafiar as leis internacionais e também os Estados Unidos. A Coréia do Norte, por exemplo, já realizou testes nucleares secretos. E o Irã tenta de todas as formas obter mais conhecimento para continuar produzindo urânio enriquecido.

Por causa dessa constante ameaça de inimigos, os Estados Unidos sempre estimulou, desde a época da Guerra Fria, a população do país a construir seus próprios abrigos antibombas. E milhões de famílias atenderam a recomendação do governo norte-americano. Afinal, a principal recomendação no caso de um ataque nuclear é não fugir, e se esconder em um local seguro, e de preferência, sem janelas. Esse iniciativa aumenta e muito a chance de sobrevivência de quem está próximo ao local do desastre nuclear. Isto porque o maior perigo com relação a uma explosão nuclear é a chuva radioativa. Por isso, é fundamental evitar o contato externo com o ambiente até que a situação esteja controlada. 

Riscos de uma explosão radioativa

O dano que uma bomba nuclear irá causar depende muito do seu tamanho. Quando a bomba nuclear atinge o chão, é aberta uma imensa cratera. As partículas derivadas da explsão recebem radiação e juntas formam uma nuvem em formato de cogumelo. Essa nuvem se espalha conforme a direção do vento e as partículas radioativas vão se espalhando pelo caminho. Invisíveis, as partículas se tornam extremamente perigosas, por isso é preciso fugir o mais rapidamente possível para que a pele não entre em contato com a nuvem de poeira.

Quando acontece uma explosão radioativa, uma intensa onda de calor se espalha casino e no raio de um quilômetro, por exemplo, as pessoas morrem quase que instantaneamente. Quem estiver um pouco mais longe também irá sofrer os efeitos da radiação de calor que chega entre 3 mil a 4 mil graus Celsius. Como consequência, as pessoas sofrem intensas queimaduras de até terceiro grau e ferimentos internos. As queimaduras fazem a pele cair em tiras e a carne fica exposta.

Quem sobrevive tem sequelas para sempre, pois irá sofrer os efeitos da radiação nuclear. As pessoas ficam com deformações físicas e apresentam doenças ao longo do tempo, como o câncer. Ou seja, as doenças decorrentes da radiação podem matar mais pessoas que a própria explosão, já que elas irão aparecer com o tempo.

Incêndios também são provocados pela explosão, e o solo e a água são contaminados devido à poeira radioativa. 

Dicas de proteção

Apesar de o Brasil não correr muito risco de sofrer um ataque nuclear, vale a pena saber o que fazer para se proteger. Isto porque muitos brasileiros viajam para os Estados Unidos, seja para estudar, morar, visitar parentes ou passear, e como o país é um alvo para países inimigos, não está descartada a possibilidade de os Estados Unidos ser atacado. E se você estiver lá quando isso acontecer, saberá o que fazer? Provavelmente, não. Então confira as dicas a seguir.

  • Não olhe

A energia liberada pela bomba atômica cria uma luz mais brilhante que a do Sol, por isso nunca olhe para o cogumelo formado pela bomba. Você pode ficar cego temporariamente ou permanentemente.

Não olhe para a explosão nuclear

  • Cuidado com os ouvidos

A explosão também provoca um grande barulho, e pode ocorrer o estouro dos tímpanos. O que fazer então? Deixe a boca aberta para aliviar a pressão sobre os ouvidos e evitar que eles estourem.

  • Não toque em nada

Todo e qualquer objeto que estiver próximo ao local da explosão ficará radioativo, por isso nunca toque em nada que tenha sido arremessado pela força da explosão.

  • Corra

Ao ouvir o impacto da bomba, corra o mais rapidamente possível e sempre a favor do vento. A radiação que é liberada após o impacto é letal e se espalha com muita velocidade. Por isso, quem está muito próximo do epicentro da explosão não irá sobreviver. Você terá somente entre 10 a 20 minutos para se distanciar no mínimo 1,6 km do local da explosão. Para que a pessoa sobreviva o ideal é que ela esteja a pelo menos 3 km de distância. E mesmo assim a essa distância a chance de escapar com vida é somente de 50%. Ah, e siga sempre a favor do vento, pois ele pode trazer a radiação.

Fuja da explosão nuclear

  • Esconda-se

Se souber com antecedência sobre a iminência de um ataque nuclear, esconda-se. Procure por um lugar seguro, e de preferência, que esteja bem debaixo do solo, como porões e estacionamentos subterrâneos. Se estiver em casa, e não tiver como ir para um abrigo, feche todas as portas e janelas e desligue o ar-condicionado ou qualquer outro tipo de sistema de ventilação. Outra dica é ficar dentro do carro com as portas, janelas e passagem de ventilação fechadas.

  • Não saia do abrigo

O grande perigo depois da explosão de uma bomba é a chuva radioativa, por isso, permaneça no abrigo por até 3 dias. Mas, se for preciso sair do local, cubra a pele. Não esqueça de cobrir a boca e o nariz com um lenço ou pano para evitar a respiração de poeira radioativa. Se não encontrar nenhum abrigo anti-bombas, tente uma estação do metrô. Se não tiver metrô na sua cidade, vale até a rede de esgotos!

Abrigo explosão nuclear

  • Descontamine-se

Se tiver que correr do local da explosão, depois que estiver em um lugar seguro, retire toda a roupa. E tome um banho para eliminar a poeira radioativa com a qual teve contato. Se houver algum centro de descontaminação, vá para lá.

  • Cuide da saúde

Rastros de contaminação podem permanecer no seu corpo e nos alimentos. Por isso, o ideal é tomar pílulas de iodeto de potássio (encontrado na forma de xarope na farmácia), para ajudar a evitar o aparecimento de câncer de tireoide, e achar comida que esteja guardada em locais muito bem fechados.