Como Investir na Bolsa de Valores

Nem sempre as pessoas sabem o que fazer com o seu dinheiro. Às vezes, elas querem investir, mas não sabem qual é a melhor opção. Por ser um investimento mais seguro, muitos optam pela poupança.

Afinal, além de ser um dos investimentos mais tradicionais no Brasil, o poupador tem inúmeras vantagens, como não pagar taxa de administração, não ter limite mínimo para aplicação, ser isento do pagamento do Imposto de Renda e de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e não ter limite para resgatar o dinheiro, ou seja, o que foi investido pode ser retirado a qualquer tempo. Os depósitos na poupança são remunerados pela TR (Taxa Referencial) acrescidos de juros mensais para pessoas físicas.

Mas, e quanto a outros investimentos? Onde aplicar o dinheiro? Quais são as outras opções de mercado? Além da poupança muitos investidores decidem aplicar o dinheiro em fundo de investimentos ou na compra de ações na Bolsa de Valores. Mas, você sabe como funciona a Bolsa de Valores, como investir na bolsa, como ganhar dinheiro sem ter prejuízo? Sabe como escolher a melhor aplicação para você?

A Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa – se tornou a bolsa oficial do Brasil, na década de 2000, quando houve a integração de todas as bolsas brasileiras. Mas, em 2008, a Bovespa anunciou o processo de fusão com a BM&F e agora, oficialmente, a nova instituição se chama BM&F Bovespa, com sede na cidade de São Paulo. As cotações das ações que são negociadas na Bolsa de Valores são calculadas com base no Ibovespa (IBOV), índice econômico que mede o desempenho médio dessas cotações. Quem intermedeia a negociação das ações são as corretoras habilitadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).  

Mas, o que são ações? Elas são definidas como sendo a menor parte do capital de uma empresa. Ou seja, se você compra uma ação, você passa a ser um acionista da empresa e a ter uma pequena parte dela, a ser um sócio minoritário da empresa. Assim sendo, você tem direito a uma parte dos lucros, chamado de dividendos, da empresa.

Bom, agora que você sabe o que são ações e como elas são negociadas, é hora de procurar por uma corretora, pois ela irá ser uma parte-chave em suas transações no mercado de ações e poderá também ajudá-lo a encontrar o melhor investimento de acordo com o seu objetivo. A corretora também poderá informar sobre novos produtos do mercado, ou seja, sobre novos investimentos que poderão ser feitos, além de informar quando as empresas irão pagar os dividendos aos acionistas. Lembre-se, porém, que a corretora irá cobrar pelo serviço, então consulte o valor da taxa de corretagem, compare os serviços e os benefícios que cada corretora oferece, para então, decidir por aquela que oferece o melhor custo-benefício para você.

Assim que você definir qual a corretora que irá representá-lo será necessário fazer um cadastro, pois ela irá precisar abrir uma conta para você na Bovespa. É como uma conta bancária. Pronto, agora que está tudo certo com a corretora, você já pode começar a comprar ou vender ações no mercado.

Além da corretora, o gerente do seu banco poderá lhe indicar quais são os melhores investimentos, aqueles que darão melhor retorno e por quanto tempo será necessário investir, até que você possa resgatar o que foi investido. No banco, você também poderá coletar informações sobre os dividendos e sobre novos investimentos que poderão ser feitos. 

Formas de investir na Bolsa

Há mais de uma forma para investir na Bolsa de Valores. Além de optar pela compra de ações, você pode investir em outros tipos de investimento como: fundo de investimento, clubes de investimento e fundos de índices (ETFs). Confira mais detalhes sobre cada uma delas.

  • Compra de Ações
    A pessoa que compra e vende as ações é o próprio gestor do negócio. Basta transmitir a ordem para a corretora ou o banco. Assim, você pode comprar ou vender quantas e quais ações quiser, quando desejar. Você não divide os riscos do investimento, nem os ganhos. A compra de ações gera dividendos (lucro) para os investidores.
  • Fundos de Investimento
    O fundo de investimento funciona como um condomínio, onde cada morador (investidor) adquire uma cota, correspondente ao total de ações que o fundo tem. A administração do fundo é feita por um gestor certificado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que pode ser uma corretora ou um banco, sendo estes os responsáveis pela compra e venda das ações. Cada fundo conta com um estatuto, onde estão reunidas as regras e o grau de risco do investimento. Assim, se uma pessoa adere a um fundo ela está concordando com a política de investimento.
  • Clubes de Investimento
    Um grupo de pessoas pode se unir para formar um clube com no mínimo três pessoas e, no máximo, 150. Os lucros e os prejuízos são divididos entre todos. Não é necessário que o clube de investimento tenha um gestor certificado pela CVM. No entanto, é preciso que alguém seja o responsável por dizer à corretora sobre a compra ou a venda de ações.
  • Fundos de Índices (ETFs)
    Esse tipo de fundo de investimento busca o retorno através de índices que acompanham um setor como o imobiliário, de consumo, de instituições financeiras, entre outros. Qualquer pessoa pode comprar ou vender suas cotas de ETF como se fossem ações. O investimento é pequeno, pode ser somente de R$ 200. Os dividendos são reaplicados no próprio fundo. O investimento é a longo prazo.

Evite erros ao investir na Bolsa

Por falta de orientação ou porque estão precisando de dinheiro mais rapidamente, às vezes, as pessoas cometem alguns erros após investirem na Bolsa de Valores. Vale lembrar que se o dinheiro for bem aplicado na Bolsa, não haverá motivos para arrependimento. Por isso, conheça alguns erros que não devem ser cometidos quando se decide investir na Bolsa de Valores.

  • Nunca invista todo o seu dinheiro em ações:
    Não é recomendável investir todo o seu dinheiro em ações, ou em qualquer outro tipo de investimento, já que ao fazer isso aumentam os riscos do seu investimento, e, consequentemente, você ficará desprotegido em caso de perda. Há quem diga que o valor ideal para se investir na bolsa de valores é de 30% do seu capital.
  • Nunca compre e venda ações por impulso:
    Agir por impulso é a pior estratégia a ser utilzada por quem quer investir no mercado de ações. É preciso saber quando o investimento é de curto ou longo prazo. Estude o mercado, veja quais são as possibilidades, pois, do contrário, você acabará perdendo dinheiro.
  • Nunca se deixe levar pela emoção:
    Às vezes, o investidor age sem cautela, se precipita ao tomar decisões, seja porque está com medo, está confiante demais ou quer lucrar o mais rapidamente possível. Para evitar esses rompantes, o ideal é estudar, analisar a situação com calma, conversar com outros investidores mais experientes ou com a sua corretora. Assim, com planos e metas bem traçadas, o seu investimento estará mais seguro e você não correrá o risco de tomar uma decisão ao sabor da emoção.
  • Nunca dê passos muito grandes:
    Muitas pessoas não obtêm sucesso ao investir em ações porque se precipitam, querem obter lucro o mais rápido. Por isso, o recomendável é começar a investir pouco e a curto prazo. Desta forma, você estará buscando experiência, descobrindo como funciona o mercado e, consequentemente, correndo menos riscos.
  • Nunca siga dicas "infalíveis":
    Provavelmente algumas pessoas tentarão ensinar alguns atalhos ou segredos para obter sucesso no mercado de ações. Tome cuidado, afinal é o seu dinheiro que está em jogo. Saiba que tanto os ganhos quanto as perdas serão proporcionais ao valor do dinheiro aplicado, ao tempo em que o dinheiro ficará investido e ao conhecimento do investidor sobre todo o processo. Por isso, mantenha a calma e tenha paciência para saber o melhor momento para investir.

Para saber mais detalhadamente como investir na bolsa, acesse abaixo o link do Bovespa que ensina em 6 passos tudo o que você precisa saber.

http://www.bmfbovespa.com.br/como-investir-na-bolsa.aspx?idioma=pt-br

Mais coisas importantes…

► Investir na Bolsa de Valores, ou seja, comprar ou vender ações, pode (e DEVE) ser feito através da Internet. Todas as corretoras disponibilizam um serviço chamado Home Broker, onde a intermediação e a visualização dos preços dos ativos é feita em tempo real através de softtwares online. É simples, rápido e simplesmente a melhor opção para operar na bolsa. À distância de 1 clique, você pode visualizar as negociações que são feitas e comprar ou vender um lote de ações.

Abrir uma conta em uma corretora é como abrir uma conta no Banco: Você preenche um cadastro, envia documentos e após ter sua conta liberada e possuir os dados de acesso, você poderá depositar ou transferir dinheiro para esta conta. O dinheiro então poderá ser usado para a compra de ações (ou derivativos), utilizando os códigos das respectivas ações.

► Um bom site para acompanhar as movimentações dos mercados financeiros, principalmente da Bovespa, é o ADVFN (www.advfn.com). Nele, você poderá acompanhar o histórico de cada ativo disponível na bovespa, além das flutuações do dólar e também mercados internacionais. O site possui diversos gráficos de todos os ativos, facilitando o entendimento da variação de cada um em movimentos diários, semanais, mensais além de Intraday (minuto a minuto durante o dia).

► Há diversas técnicas e estratégias que podem ser usadas para operar na bolsa. Além de analisar os fundamentos e informações das empresas a qual deseja ser acionista (Análise Fundamentalista), muitas pessoas são adeptas de outro tipo de análise, a famosa Análise Técnica, na qual os GRÁFICOS dos movimentos dos ativos são analisados e estudados para que se consiga prever ou antecipar os próximos movimentos mediante o cenário atual ou o comportamento histórico de cada ação.

Familiarizar-se com os termos que regem o mercado é muito importante: Ações, opções, alta, baixa, bull, bear, candlestick, intraday, análise técnica, gráficos, gaps, mínimas, máximas… Existem inúmeros termos que são utilizados por investidores e profissionais da bolsa diariamente. É importante conhecer os principais termos para que, além de garantir uma noção mais sólida e embasada, você também não fique perdido em algumas situações que exijam um claro entendimento do mercado, operando com calma e garantindo maiores ganhos e menores perdas. Aliás, perdas são inevitáveis, por isso o mercado de ações é chamado de RENDA VARIÁVEL.