Como funciona uma impressora 3D

Apesar de já existir há 10 anos, ultimamente os brasileiros começaram a ouvir com mais intensidade um burburinho sobre algo que está dando muito o que falar: a impressora 3D. Mas, o que é uma impressora 3D? O que ela faz que tem deixado as pessoas tão ouriçadas? É que ela é capaz de imprimir objetos em três dimensões e em cores.

 

processo de impressão 3D também é chamado de "prototipagem rápida", pois a impressão consegue fazer em minutos ou em algumas horas objetos simples que demorariam muito mais tempo para serem finalizados. Mas, como é realizado todo o processo? Em primeiro lugar, é preciso que o objeto seja modelado, construído, por isso é necessário ter um software que cria desenhos em 3D como AutoCAD e CorelCAD, ou o software gratuito nanoCAD. O formato de arquivo universal das impressores é o .STL. Na internet é possível encontrar sites que oferecem software gratuito de modelagem tridimensional. Há ainda sites que oferecem objetos prontos para impressão, basta fazer o download.

Mas, como os objetos são impressos? A impressão em 3D é feita em camadas bastante finas, que vão sendo cortadas e impressas umas em cima das outras para depois se transformarem no objeto. Depois de as peças serem impressas, a riqueza de detalhes dos objetos em 3D impressiona.

Vantagens da impressora 3D

 

Qual é a vantagem de se ter uma impressora em 3D? Se por um lado investir na compra de uma impressora pode se tornar algo impensável devido ao seu preço, por outro lado é possível criar peças únicas, que se fossem encomendadas ficariam muito caras. Para quem é escultor, por exemplo, a impressora veio facilitar o trabalho, já que antes o artista plástico poderia necessitar de materiais como argila, metal ou madeira para criar os objetos. E com a impressora, esses materiais não precisam ser utilizados.

A tecnologia dessas impressoras é tão avançada que já se pode fazer impressões 3D de roupas, utensílios domésticos, esculturas, e até armas de fogo. Na área da saúde, as impressoras também já são utilizadas, pois são capazes de, por exemplo, possibilitar a fabricação de próteses de alta qualidade e com preço reduzido. Elas também podem ser úteis nos segmentos de protótipos, maquetes e embalagens e nos ramos da arquitetura, automotivo, joalheria, aeroespacial e design de produto.

Já podem se encontrados diversos modelos de impressoras em 3 dimensões. Há, inclusive, impressoras que podem imprimir objetos tridimensionais com até 180 mil cores. Ou então, impressoras mais compactas e baratas e que possibilitam criar objetos tridimensionais de plástico.

Realidade distante?

O preço de uma impressora 3D ainda é muito salgado para o consumidor comum. No Brasil, já existem empresas fabricantes de impressoras tridimensionais, mas o preço ainda não é acessível a todos, ficando entre R$ 3,7 mil e R$ 6,7 mil. Por isso, o público das impressoras são as empresas, universidades e designers.

No entanto, já se pensa na popularização da tecnologia, e, consequentemente, na venda de impressoras 3D domésticas e que possam ser montadas pelo próprio usuário. O projeto da impressora já existe e se chama RapMan 3D Printer, ou seja, foi lançado um kit que contém as peças necessárias para a montagem de uma impressora 3D. É claro que a impressora não possui todos os recursos de uma impressora tridimensional industrial, mas para quem está começando no ramo é uma boa alternativa. No Brasil, a impressora não sai por menos de R$ 12 mil. 

Impressões em 3D

Um carro feito sob medida e impresso tridimensionalmente, será possível? Sim, por mais absurdo que possa parecer esse carro já foi criado. Ele pesa somente 544 kg e mede 3,04 metros, pode levar duas pessoas e possui três rodas: duas na parte da frente e uma atrás para manter o equilíbrio. Mas, como ele foi feito?

Segundo o criador Jim Kor, foram necessárias 2,5 mil horas de trabalho de uma impressora 3D para que o carro ficasse pronto, já que a estrutura do veículo foi feita a partir de um processo que não junta peças. Ou seja, primeiro ficou pronta a carcaça e somente depois vieram as peças como rodas, motor e outros elementos. O carro é feito por encomenda e sai por US$ 50 mil.

Você já pensou em reproduzir fotografias em alto relevo através da impressora 3D? Pois saiba que isso é possível e que o responsável por essa revolução é o site Intrusctables, cujos editores criaram um software e uma modelagem complexa que possibilita a impressão de imagens em 3D. Por enquanto a impressão somente pode ser feita em preto e branco e ainda não é possível imprimir uma fotografia de pessoas em três dimensões.

E que tal criar pizzas comestíveis? Achou estranho? Pois a NASA (agência espacial norte-americana) estaria investindo em estudos para que seja possível criar pizzas comestíveis por meio das impressoras 3D. O objetivo é oferecer as pizzas para os astronautas em missão, já que elas poderiam ser criadas com várias camadas diferentes de alimentos.

Será possível construir uma casa em 3D? Pois o arquiteto holandês Janjaap Ruijssenaars afirma que sim, e que o desenvolvimento da “Landscape House”, como está sendo chamada a casa, deve ficar pronta em 1 ano e meio, ou seja, em 2014. Segundo ele, a casa será construída com a junção de fragmentos de aproximadamente 6×9 metros, impressos pela impressora tridimensional D-Shape, capaz de imprimir blocos de areia e pedra. O equipamento foi desenvolvido pelo italiano Enrico Dini. Ainda segundo Janjaap, a impressora dará forma à casa, enquanto que a estrutura será feita com concreto armado.

Mas se carros, fotografias, casas ou comidas são criações em 3D inofensívas, o mesmo não se pode dizer das armas de fogo. Em maio de 2013 chegou ao conhecimento das autoridades norte-americanas que um estudante dos Estados Unidos teria criado uma arma em uma impressora 3D, e que ela funcionava. O Departamento de Estado Norte-Americano pediu ao estudante que ele removesse os arquivos relacionados ao armamento de seu site.

Se no Brasil alguém produzisse uma arma em 3D, a pessoa provavelmente seria enquadrada no crime que proíbe a fabricação e o porte de armas de fogo no país. A punição poderia ser multa em dinheiro ou até prisão.