Como chegar aos 100 anos com saúde

Saúde e Corpo2.101 Visualizações

Viver um século. Já pensou? Em um país onde a expectativa de vida gira em torno de 70 e poucos anos, uns trinta anos a mais não são nada mal! Mas não basta apenas apenas superar essa expectativa de vida, o grande desafio é superar essa barreira com saúde.

De nada adianta passar dos 70 com uma saúde decrépita, sem poder ser dono de si mesmo. Por isso vamos passar pelos períodos mais importantes de nossas vidas mostrando o que fazer para tentar se cuidar e viver melhor. Quem sabe vocâ não chega aos 100 anos?

Expectativa de vida

 

A expectativa de vida do brasileiro tem aumentado. Segundos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados em 2012, a expectativa de vida do brasileiro atingiu 74,08 anos (74 anos e 29 dias) em 2011. Se comparado ao ano de 2000, o aumento foi de 3,65 (três anos, sete meses e 24 dias).  A pesquisa mostra que nesse período, o aumento da expectativa de vida foi maior para os homens, com  5 meses e 23 dias a mais de vida do que as mulheres. No entanto, comparativamente as mulheres vivem mais do que os homens. Para elas, a expectativa de vida é de 77,7 anos e, para eles, 70,6 anos.

Se comprovadamente os brasileiros estão vivendo mais, então é cada vez mais necessário ter um estilo de vida saudável, para envelhecer com saúde e evitar doenças que chegam com o avanço da idade, como os problemas cardiovasculares. É claro que viver até 100 anos não é fácil, e a grande maioria das pessoas nem chegará lá, mas com boa alimentação, com alimentos ricos em vitaminas, e exercícios físicos ao longo dos anosé possível ter mais qualidade nesta fase da vida, e quem sabe até comemorar os 100 anos de idade junto a familiares e amigos. Evitar o estresse no dia a dia também é uma excelente dica para quem quer se manter saudável e com chances de ter uma vida mais longa.  

Mas, como chegar aos 100 anos com saúde? Para viver mais e melhor é preciso cuidar da saúde desde sempre. Tomar as vacinas quando criança, fazer exames para verificar como está a saúde, alimentar-se bem, fazer exercícios físicos são alguns dos cuidados que devemos ter ao longo da vida. Claro que o fator biológico conta muito, tem pessoas que já nascem com um organismo mais propenso a durar tanto. Mas nada adianta se a pessoa não der uma forcinha ao longo da vida. De qualquer forma se cuidar não apenas fará com que você viva mais, mas o mais importante, fará com que você viva melhor.

 



 

A seguir, confira o que não se pode deixar de fazer em cada década de nossas vidas.

DO NASCIMENTO AOS 10 ANOS

Desde que nascemos começa o processo de envelhecimento. Pode ser estranho, mas desde que nascemos começamos a morrer um pouco a cada dia, pois caminhamos para o envelhecimento até chegarmos à morte. Por isso, os cuidados com a saúde devem começar desde que nascemos. A recomendação dos médicos é, portanto, não descuidar da saúde dos bebês e das crianças no que se referem às vacinas que devem ser tomadas, e que evitam diversas doenças. Manter, assim, a caderneta de vacinação atualizada é o primeiro passo para garantir maior qualidade de vida para bebês e crianças nesta fase da vida.

A partir dos 10 anos de idade, as crianças podem começar a fazer os primeiros exames de rotina. Eles são necessários para identificar possíveis fatores de risco. Afinal, quanto mais cedo se tem conhecimento sobre possíveis doenças, mais rapidamente se pode iniciar a prevenção ou até mesmo o tratamento. Assim sendo, o ideal é levar a criança ao pediatra, para que ela faça os primeiros exames para medir a glicemia (açúcar no sangue), colesterol e triglicérides. Além, é claro, de um hemograma.

DOS 20 AOS 30 ANOS

Os jovens começam a vida sexual cada vez mais cedo. Hoje em dia é até difícil encontrar moças e rapazes que tenham tido a sua primeira relação sexual aos 20 anos ou depois dessa idade. No entanto, independente da idade o importante é que adolescentes e jovens estejam bem informados sobre as doenças sexualmente transmissíveis.

No auge da juventude, moças e rapazes só querem curtir a vida e não se importam tanto com cuidados básicos como o uso da camisinha, por exemplo. O que é um erro, já que além de proteger a mulher de uma gravidez indesejada ou inesperada, ela também protege contra as doenças sexualmente transmissíveis, como AIDS, sífilis, gonorreia, HPV, herpes genital e clamídia. Por isso, usar camisinha durante a relação sexual é uma das principais formas de prevenção, pois ela é capaz de proteger de doenças sérias que podem se desenvolver e causar infertilidade, o aparecimento do câncer, e até a morte.

Com a chegada dos 30 anos, o ritmo de vida é outro. A vida já está mais corrida, e é preciso se desdobrar entre a família e o trabalho. As responsabilidades são maiores, o estresse aumenta e nem sempre há tempo para cuidar da saúde. No entanto, apesar da correria do dia a dia é fundamental arranjar um tempo para incluir a atividade física em sua rotina. Por isso, o ideal é descobrir qual esporte ou qual exercício agirá como agente motivador para o seu dia a dia. Afinal, quanto mais cedo a pessoa inclui a atividade física no seu dia a dia, mais chances ela terá de chegar com saúde até a chamada terceira idade.  

DOS 40 AOS 50 ANOS

Os riscos de doenças cardiovasculares aumentam muito quando se chega aos 40 anos. Aliás, o risco de doenças de um modo geral é bem maior quando se está na faixa dos 40 anos. Por isso, é importante a prevenção, fazer exames médicos e conhecer o histórico familiar de doenças. Com esses cuidados, será possível diagnosticar precocemente algumas doenças que podem afetar muito o seu dia a dia, como diabetes, obesidade e hipertensão (pressão alta). O diagnóstico precoce do câncer também aumenta a possibilidade de cura da doença.

Desde criança deve-se manter uma alimentação saudável, e que inclua mais frutas, verduras e legumes e menos frituras, gorduras e carnes vermelhas, por exemplo. No entanto, é difícil resistir a algumas tentações, principalmente quando se é criança ou adolescente. No entanto, a medida em que o tempo passa é bom esquecer velhos hábitos e começar a se alimentar de forma mais saudável. Por isso, quem já passou dos 40 e chegou aos 50 deve se preocupar ainda mais em manter uma alimentação mais equilibrada e rica em frutas, verduras, legumes, fibras. Alimentos que contenham ferro, cálcio e vitamina B 12 também são recomendáveis. Diminuir a quantidade de sal e de açúcar e de gorduras saturadas também faz viver mais. Opte ainda por alimentos naturais que são fonte de vitaminas, e evite alimentos em conserva.

DOS 60 AOS 70 ANOS

Quando se chega aos 60 anos é importante retomar a vacinação. No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda a vacinação contra a gripe, que é oferecida gratuitamente em postos de saúde. Além da vacina contra a gripe, os idosos devem tomar a vacina pneumocócica, contra pneumonia. Idosos que não foram vacinados quando deveriam ou estão em situação de vulnerabilidade, devem tomar outras vacinas como hepatite B ou vacinas contra difteria e tétano. Vale lembrar que antes de tomar a vacina, o idoso deve se consultar com um médico para saber se ele precisa tomar outras vacinas que não a da gripe.

Além de a vacinação ser importante nesta fase da vida, os idosos podem e devem investir na realização de exercícios. Assim, seja nos 60 ou nos 70 anos, o idoso pode fazer exercícios com peso, desde é claro que seja sob a supervisão de um profissional, para evitar possíveis lesões. Nessa idade, o exercício ajuda a fortalecer a musculatura,  previne doenças dos ossos, ajuda no combate aos radicais livres e ainda deixa os músculos fortes e mais jovens. Os idosos podem, por exemplo, ir à academia duas ou três vezes por semana.

DOS 80 AOS 90 ANOS

Chegar aos 80 anos com saúde e com a memória em dia é um privilégio. Afinal, nessa idade aumentam as possibilidades de surgirem doenças que afetam o cérebro, como o Mal de Alzheimer. Para evitar ou retardar a perda de memória, muito comum nessa idade, os médicos recomendam que os idosos mantenham a mente ativa. Assim, para estimular o cérebro nada melhor do que aprender algo novo, se exercitar e exercitar a mente.

Além de manter uma alimentação saudável, fazer exercícios, manter a mente ativa, ir ao médico, tomar a medicação indicada, quem chega aos 90 anos pode se expor ao sol diariamente, já que o sol é uma excelente fonte de vitamina D, que ajuda a manter os ossos fortes e resistentes. Além disso, o sol ajuda a absorver o cálcio e evita a osteoporose (muito comum em idosos), ou seja, o enfraquecimento dos ossos.

Para aproveitar melhor os benefícios do sol, vale lembrar que o horário de exposição deve ser até às 10h. E que não é preciso ficar longo tempo, basta 15 ou 20 minutos, no mínimo durante 3 vezes por semana.

100 ANOS

Se você tomou todos os cuidados descritos acima, as chances de chegar aos 100 anos são maiores. No entanto, o importante é que independente dos anos que você viverá, é sempre bom investir na qualidade de vida, para que a velhice não seja um fardo, e sim mais uma chance de curtir a vida e se manter neste mundo por mais tempo, apesar de todos os problemas da vida moderna.